Epicondilite lateral

O que é ?

  Apesar de ser conhecido também como "cotovelo do tenista", a epicondilite lateral não é um problema limitado a quem pratica esse esporte. Trata-se de uma inflamação dos tendões do cotovelo muito comum a quem realiza movimentos repetitivos com o punho e os dedos.

 

Causas

 

  Os músculos que fazem a extensão do punho e dos dedos tem origem na parte lateral do cotovelo, em uma proeminência óssea chamada epicôndilo lateral. Diversos músculos extensores são originados nessa região e quando o punho está virado para cima, estendido, esses músculos contraem-se, gerando tensão em sua origem. Quando ocorre sobrecarga e desgaste dessa região, pode ocorrer fissuras no tendão, iniciando um processo inflamatório e levando, assim, à epicondilite lateral.

Fatores de risco

 Esse problema é mais comum em pessoas com mais de 35 anos. Apesar do nome, o cotovelo de tenista pode afetar qualquer pessoa que usa repetidamente os pulsos e os dedos nas atividades do dia a dia.

Mas atletas que praticam tênis, golfe e outros esportes que consistem no arremesso são mais propensos a apresentar epicondilite lateral.

 

Sintomas

Os principais sinais e sintomas de epicondilite lateral são:

  • Dor no cotovelo com piora gradual;

  • Irradiação da dor da parte externa do cotovelo para o antebraço e para as costas da mão, principalmente ao segurar ou torcer alguma coisa;

  • Fraqueza;

  • Rigidez muscular;

  • Sensibilidade na região afetada;

 

Diagnóstico 

 

  Epicondilite lateral é, geralmente, diagnosticada com base no histórico clínico do paciente e em um exame físico. Um raio-X pode ajudar a excluir possíveis outras causas dos sintomas, como uma fratura ou artrite. Raramente, outros exames de imagem mais abrangentes - como a ressonância magnética nuclear - são necessários.

 

Tratamento

  O tratamento fisioterápico é consistindo principalmente em:

- Ensino de posturas corretas de colocação do antebraço e punho nas atividades da vida diária;

- Orientação quanto às pausas de tempo necessárias durante as atividades, para o relaxamento das estruturas que estiverem em tensão constante;

- Ensino da prática de alongamentos, devido à sua utilidade tanto para a recuperação como para a prevenção do aparecimento de nova inflamação.

 O tratamento inicial consiste na diminuição da dor e da sobrecarga, através da crioterapia, acupuntura e fisioterapia desportiva. A redução dos movimentos que geram tensão, dependendo do grau dos sintomas, pode ser necessária. Após diminuição da dor, inicia-se o fortalecimento muscular. A melhoria da dor nem sempre é imediata e a resolução completa da epicondilite lateral pode levar até 1 ano.

  Se a dor persistir após o período de seis a doze meses de descanso e tratamento, pode ser recomendada cirurgia. Converse com um especialista sobre os riscos e benefícios que a cirurgia pode trazer.

Epicondilite lateral tem cura?

  A dor no cotovelo decorrente da epicondilite lateral pode melhorar sem cirurgia. Entretanto, a maioria das pessoas que faz a cirurgia tem pleno uso de seu cotovelo e antebraço posteriormente.

 Prevenção

Evitar atividades que exijam movimentos repetitivos do punho e dos dedos pode ajudar a prevenir epicondilite lateral. Exercícios de alongamento também podem ser úteis neste sentido.

©2020 Instituto de Fisioterapia

Av. Juscelino Kubitscheck, 1597 - Centro, Foz do Iguaçu - PR

 Tel: 045 30292930   -  045 99859 9074

  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social