©2018 Instituto de Fisioterapia

Av. Juscelino Kubitscheck, 1597 - Centro, Foz do Iguaçu - PR

 Tel: 045 30292930

  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social

 

Lesão Manguito rotador

   A articulação do ombro é uma das mais complexas do corpo humano e o ombro é o membro mais movimentado durante todo o dia. Por isso as lesões são frequentes, sendo a mais comum a do manguito rotador.

O manguito rotador é um grupo de quatro músculos:

- Supraespinhoso;

- Infraespinhoso;

- Redondo menor;

- Subescapular.

Esses músculos cobrem todas as partes da cabeça do ombro, o úmero. Eles têm como função fazer o braço girar e manter o osso do braço bem conectado à escápula (osso que conecta os membros superiores ao tronco). Quando ocorre a lesão do manguito rotador, significa que houve uma distensão ou ruptura dos tendões desses músculos.

 

Causa

  A lesão do manguito rotador é bastante frequente. Acomete  20% das pessoas, e sua incidência aumenta com a idade. Acima dos 80 anos, 50% das pessoas tem rompimento dos tendões. A principal causa é degenerativa, ou seja, os tendões vão perdendo a resistência com o passar dos anos. Entretanto, traumas, como quedas e esforços súbitos, e movimentos repetitivos podem propiciar o aparecimento desse problema.

Podendo ocorrer por:

- Trauma;

- Degeneração ligada à idade avançada;

- Falta de irrigação de sangue nos músculos;

- Levantar objeto pesado;

- Uso excessivo do ombro em exercícios;

 

Sintomas

 

  Os sintomas costumam ser dor, dificuldade para realizar os movimentos e diminuição de força. A dor costuma piorar à noite e ao elevar os braços. Os sintomas aparecem após um movimento ou trauma específico, geralmente as dores duram por meses e os pacientes não procuram um ortopedista. A dor nem sempre é no ombro, algumas vezes é no braço, pescoço e/ou coluna cervical, por isso é muito importante procurar um médico para que a região lesada seja devidamente localizada e a lesão seja tratada. Normalmente sente-se fraqueza no braço e dores noturnas que causam dificuldades para dormir.

Diagnóstico

Para diagnosticar o local exato da lesão, primeiramente é feito um exame físico, onde o paciente faz movimentos rotatórios com o braço e o médico vai pedindo relatos das características da dor. Em casos de queda, o médico pede um Raio-x para constatar se houve ou não fratura.

Dependendo do resultado o médico pede:

- Uma artografia, que é um raio-x tirado após ser injetado um contraste na articulação do ombro;

- Ressonância Nuclear magnética (RNM);

 

Tratamento

 

  O tendão desses músculos pode inflamar ou romper parcial ou totalmente e o tratamento vai depender da gravidade da ruptura e da dor. Se a ruptura for incompleta, vai cicatrizar sozinha, desde que não interfira nas atividades do dia a dia da pessoa. Durante o tratamento o paciente vai conquistar uma postura correta, descansar os ombros, fazer compressas de gelo de 2 ou 3 vezes ao dia e tomar anti-inflamatórios prescritos pelo médico.

 A fisioterapia realiza exercícios para diminuir a inflamação, amenizar a dor e fortalecer os músculos. Tudo com o objetivo de que o paciente retorne brevemente às suas atividades, tendo a maior segurança para realizá-las. O retorno antes do tempo pode agravar a lesão e causar um dano permanente. O tempo será determinado pelo profissional de acordo com a reabilitação do paciente. Para que não ocorra novas lesões os músculos e tendões devem estar sempre bem fortalecidos e alongados.

A cirurgia costuma ser indicada nos casos de lesão completa, principalmente em pacientes jovens, ou nos casos em que o tratamento não cirúrgico não foi efetivo.