Síndrome do Piriforme

O que é a Síndrome do Piriforme?

   A síndrome do piriforme está associada a uma compressão do nervo isquiático (ciático). Anatomicamente, o piriforme é um músculo que se localiza próximo ao nervo ciático, ele se encontra na região posterior e profunda do quadril, coberto pelos músculos glúteos. Sua origem está na superfície anterior do sacro e se insere no trocânter maior (lateralmente ao quadril). O nervo isquiático é o responsável pela inervação do piriforme e em alguns casos, este músculo pode comprimir o nervo e levar a dor glútea irradiada para a coxa.

 

Causas

  A compressão do nervo ciático é causada por uma alteração anatômica em que o nervo passa por dentro do piriforme, levando a um quadro compressivo e doloroso, com irradiação para região lateral da coxa. Entretanto, na maioria das vezes, a anatomia desta região é normal, porém uma contratura do músculo piriforme leva ao mesmo quadro clínico, confundindo inclusive com dor glútea profunda. Dentre os hábitos que aumentam o risco de incidência da síndrome do piriforme, ficar sentado por tempo prolongado e praticar exercícios para os glúteos de forma exagerada são os mais comuns.

 

Sintomas

Os principais são dormência, formigamento e dor intensa na região lateral e posterior da coxa, além da região glútea.

 


Diagnóstico e exames

  O exame clínico deve diferenciar síndrome do piriforme, dor glútea profunda e disfunções lombares com irradiação, realizando testes específicos. Exames de imagens como raio-X, tomografia computadorizada (TC) ou ressonância nuclear magnética (RNM) da coluna podem ser feitos para  excluir a possibilidade de patologia vertebral/radiculopatia.

 

Tratamento

   O paciente pode fazer compressa de gelo e aplicar sob o local, manter-se em repouso e iniciar um programa de reabilitação o mais rápido possível.

Para aliviar a dor, a fisioterapia é indispensável no tratamento da síndrome. O tratamento na fisioterapia para a síndrome do piriforme tem como objetivo aliviar a compressão. Técnicas de relaxamento muscular e liberação miofascial do piriforme podem levar alívio imediato dos sintomas e diminuição da irradiação. Equipamentos de Eletrotermofoterapia como ultra-som (US) e terapia combinada podem acelerar este processo de melhora. Técnicas de terapia manual e um protocolo de fortalecimento muscular, focando correção biomecânica, serão fundamentais para permanência dos efeitos terapêuticos.

Se você está na dúvida se a sua dor é uma problema de coluna ou quadril, não hesite em procurar um fisioterapeuta ou médico para fazer um diagnóstico disfuncional.

©2020 Instituto de Fisioterapia

Av. Juscelino Kubitscheck, 1597 - Centro, Foz do Iguaçu - PR

 Tel: 045 30292930   -  045 99859 9074

  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social